Portfólio

Brinquedoteca

Ninguém melhor que a própria arquiteta para contar sobre essa brinquedoteca que ficou demais!! E, para as crianças gastarem ainda mais energia, nosso tapete Amarelinha foi o escolhido 🙂
A brinquedoteca fica na sala do apartamento. Aqui as crianças literalmente compartilham os mesmos espaços que os pais. Os dormitórios são pequenos e, apesar da varanda ser fechada, nos dias frios sempre fica mais gelado. Além disso, a varanda tem uma vista linda. Então optei por sair da tradicional brinquedoteca naquele cantinho da varanda e colocar na sala. Assim as crianças brincam próximas dos pais, numa temperatura agradável e a vista da varanda é aproveitada por todos na mesa de jantar.
 
As crianças são pequenas, mas gostam de subir em tudo e tem muita energia! Além disso, gostam de brinquedos de montar e que estimulem a imaginação. Então o espaço precisava conseguir gastar toda essa energia, ser lúdico, onde as brincadeiras pudessem ser criadas espontaneamente e ainda armazenar brinquedos menores. E que ainda fosse fácil de ser adaptado em outro lugar, já que o imóvel era alugado. A solução foi desenhar um móvel que funcionasse como mesa de atividades e organizador e optar por itens fáceis de serem mudados de lugar. Na mesa (da Muskinha) é possível desenhar, brincar de lego e guardar brinquedos menores e maiores, com o baú, que encaixa embaixo quando não está sendo utilizado.
 
Para as brincadeiras de coordenação motora grossa (ou que gastam mais energia física), foi pensado o tapete amarelinha junto com a Uauá, que também servia para o menor brincar sentadinho, já que na época era bebê (ainda é, mas era menorzinho…hahaha).
 
A barra com as argolas é revezada com o balanço (Meu Móvel de Madeira) nos ganchos instalados no teto da sala e, junto com a parede de escalada e o tapete de amarelinha (Uaua), formam um combo bem divertido para as crianças brincarem e descobrirem as possibilidades e limites do corpo.
 
Também temos uma mini cozinha (Ikea) e uma cabana (Julieta for Fun) que rendem horas de brincadeiras, diferentes a cada dia, já que a criança pode usar a imaginação no que chamamos de brincar livre”.
Carla Romanelli
11.989557979
Arquiteta e Urbanista

Data

15 / nov

Categorias

os dois